Série usará drama romântico para contar história da TV

Por LÍGIA MESQUITA

A série “Nada Será como Antes”, que abordará a chegada da televisão ao país, não terá caráter documental, no sentido de retratar personagens e histórias reais sobre esse tema.

O início das transmissões televisivas e das novelas servirá de pano de fundo para contar a história de amor do casal protagonista, Saulo (Murilo Benício) e Verônica (Débora Falabella).
A trama de Guel Arraes, Jorge Furtado e João Jardim, com direção artística de José Luiz Villamarim, que se passa nos anos 50, estreará em 27 de setembro e terá 12 episódios. Irá ao ar às terças-feiras após “Justiça”.

Saulo é um empresário, um vendedor de rádios, que se apaixona por uma locutora do interior, separada. Ela se tornará a estrela das telenovelas no Brasil.

Segundo Guel Arraes, por meio da história desse casal se vê também a transformação dos meios de comunicação.

Villamarim diz que haverá outros romances e que será possível entender o tamanho que a novela ganhou no país.

 

 

Débora Falabella vive Verônica na série 'Nada Será como Antes' (Estevam Avellar/Divulgação)
Débora Falabella vive Verônica na série ‘Nada Será como Antes’ (Estevam Avellar/Divulgação)