‘Tive bons momentos na Record, mas me sinto em casa na Globo’, diz Marcio Garcia

Por LÍGIA MESQUITA

Marcio Garcia retoma neste domingo (10) o trabalho como apresentador, com a estreia de “Tamanho Família”, novo dominical da Globo.

Marcio Garcia no cenário do 'Tamanho Família' (Artur Meninea/Divulgação)
Marcio Garcia no cenário do ‘Tamanho Família’ (Artur Meninea/Divulgação)

Desde 2008, quando deixou a Record e o comando do “Melhor do Brasil”, o ator não se aventurava nessa função.
Ele conta que participou do desenvolvimento do programa, uma espécie de game show sem prêmio em disputa, com famílias de famosos.

Faltava um programa aos domingos para a família?
Todo programa tem essa conexão, mas não de uma forma direta como o nosso, que tem família no título. O que a gente quer é reunir as pessoas. E mostrar que família de ator é igual a de qualquer pessoa. Queremos desmistificar essa ideia.

No programa zero, que estreou na internet na semana passada, os convidados choraram bastante. Há preocupação em não ficar apelativo?
Não é apelativo de forma alguma. As pessoas se emocionam de alegria, não é algo que vem de graça, a pessoa chora de emoção. O programa está sendo feito com muito cuidado.

Como se vê como apresentador hoje? Amadureceu?
A cada dia amadurecemos. A gente adquire experiência com a vida. O “Tamanho Família” é um papo de uma pessoa mais madura do que eu era quando comecei com o “Gente Inocente” (2000-2002) ou há oito anos [na Record]. Tive uma melhora. E a minha experiência de família também mudou. Antes, eu tinha um filho, agora tenho quatro, isso ajuda no programa.

Ter saído da Globo e passado um tempo na Record te ajudou nesse amadurecimento?
Toda experiência é válida, mesmo quando dá errado, o que não é o caso. Aprendemos mais com a derrota. Hoje a Globo é a primeira emissora, tem uma estrutura incomparável de produção. Tive bons momentos na Record, mas hoje me sinto em casa na Globo. Me sinto acolhido, seguro do produto que tenho na mão. Estou muito feliz.