Em meio à polêmica com Safadão em Caruaru, ‘Velho Chico’ critica grandes shows de São João

Por LÍGIA MESQUITA

O capítulo desta quarta (22) de “Velho Chico” (Globo) teve uma crítica aos shows de grandes cantores que tomaram conta das festas juninas pelo país, em meio à polêmica sobre a contratação de Wesley Safadão para o São João de Caruaru (PE), por um cachê de R$ 575 mil. A cidade pernambucana vive uma crise financeira e enfrenta uma seca.

Na noveladas 21h, o músico Targino (Chambinho do Acordeon) pergunta ao dono de bar Chico Criatura (Gésio Amadeu) se a festa de São João da fictícia cidade Grotas de São Francisco terá espaço para um trio de forró tocar.

Depois, um morador do local comenta: “Hoje em dia só tem esse espaço é para esses artistas famosos.Para esses aí, a prefeitura paga o quanto for”.

O vereador Bento dos Anjos (Irandhir Santos) emenda: “A festa não é mais de São João. É desse bando de ladrão. Uma a uma as festas vão se tornando parte de um esquema da prefeitura. Fica contratando esses artistas que toca esses forró de plástico aí, sem licitação. Fica com uma parte do dinheiro, a outra dá para os artistas e o povo, a festa, tudo que se dane”.

Para encerrar, Chico Criatura declara: “Esses artistas nem da região são. E de forró mesmo, não sabem nem os passos”.  

Chico Criatura, Bento e Targino em cena de 'Velho Chico' (Globo)(Reprodução)
Chico Criatura, Bento e Targino em cena de ‘Velho Chico’ (Globo)(Reprodução)