‘Colega pedir beijo gay só no fim é pior que fundamentalista’, diz Montenegro

Por LÍGIA MESQUITA

Fernanda Montenegro criticou seus colegas “libertários” que dizem que o beijo gay protagonizado por sua personagem e a de Natalia Timberg em “Babilônia” deveria ter sido exibido no último e não no primeiro capítulo da novela global. Em “Amor À Vida”, o casal gay se beijou no encerramento do folhetim, e a cena foi elogiada.

“Acho isso um  resposta pior que a dos fundamentalistas religiosos”, afirmou a atriz a um grupo de jornalistas, incluindo a Folha, no evento International Academy Day, na sede da Globo, nesta quinta (25).

Para Fernanda, há 40 anos as novelas fazem essa preparação do público para exibir ou não um beijo gay no final. “[Foi] um beijo de boca fechada, numa iluminação totalmente  sombreada, um pouco mais que um selinho e os colegas dizerem isso é abismante. Que tinha que preparar o público para beijar no último capítulo. Que o fundamentalista lá diga isso, tudo bem. Mas a nossa classe, os nossos colegas…”, disse.

A declaração foi dada logo após a ela e Lima Duarte interpretarem uma cena fictícia  sobre uma censura ao primeiro beijo na televisão brasileira.

Ao ouvir a declaração da atriz, Silvio de Abreu, diretor de dramaturgia diária da Globo, afirmou que a polêmica em torno do beijo em “Babilônia” foi usada para “chamar a audiência para o outro [canal]”.

Questionada se sua personagem voltará a protagonizar um beijo com sua mulher na novela, Fernanda disse: “Aí  não posso me adiantar ao futuro”.

(Lígia Mesquita/Folhapress)
Fernanda Montenegro e Lima Duarte interpretaram cena fictícia sobre uma censura ao primeiro beijo na televisão brasileira (Lígia Mesquita/Folhapress)